Sou dramática, intensa, transitória e tenho uma alegria em mim que quase me deixa exausta. Eu sei sorrir com os olhos e gargalhar com o corpo todo. Eu sei chorar toda encolhida abraçando as pernas. Por isso, não me venha com meios-termos, com mais ou menos ou qualquer coisa. Venha a mim com corpo, alma, vísceras e falta de ar.

quinta-feira, 12 de março de 2015

O Poder da Visualização

A visualização é um exercício espiritual poderoso. Se apenas imaginar a paisagem tranquila de uma praia, a sua mente conecta-se de imediato com a imagem, com os sons e as sensações que você experimenta quando está fisicamente  no local  e pode alterar o seu estado fisiológico quase de imediato.
Faça o seguinte exercício: feche os olhos e imagine a raiva. Interrompa a sua leitura e experimente fazê-lo agora. Ótimo!
O que é que viu? Independentemente do que eu tenha imaginado a sua imagem de raiva é a correta para si, uma vez que não existe uma imagem universal do que é a raiva.
Agora feche novamente os olhos e veja a sua imagem de raiva a ficar mais calma,  a tranquilizar-se,…visualize a sua  raiva a transformar-se em paz.
O que é que aconteceu? A sua visão transformou-se em outra coisa?
Agora continue a trabalhar com a sua imagem e a torne ainda mais relaxante. Pode fechar os olhos agora, deixe-se levar e imagine…
O que viu e sentiu?
Na verdade, o corpo pode ser ilimitadamente influenciado pela mente através da visualização. É um processo  rápido e gratuito que pode adotar como  hábito para controlar os níveis de stress, regular a pressão arterial, ou mesmo para acelerar  a recuperação de alguma doença ou algum ferimento.
Experimente fazer o seguinte exercício:
Feche os olhos, relaxe… inspire profundamente e expire  lentamente… devagar e sem esforço visualize-se do tamanho de uma estátua… continue sempre a respirar sem esforço e mantendo-se relaxado.
Agora imagine que se abre uma porta no seu corpo de estátua e aparece você no seu tamanho real. Imagine que é  médico. Suba até ao lugar do  seu corpo estátua que precisa de ser curado e ofereça-lhe os cuidados que precisa. Demore o  tempo que entender. O importante é fazê-lo sem esforço e sem obrigação. Pode utilizar o processo de cura que  lhe vier à mente, desde pozinhos perlim pimpim, ervas, equipamentos cirúrgicos etc..
Quando tiver terminado imagine-se a regressar ao seu corpo de estátua já curado. Agora visualize-se a voltar ao seu tamanho natural e num estado de perfeita saúde.
Esta visualização vai enviar instruções ao seu corpo e dizer-lhe o que fazer mostrando-lhe aquilo de que é capaz.
Não espere sentir-se automaticamente curado mal abra os olhos. Mas insista e pratique pelo menos uma vez ao dia até recuperar totalmente.

quarta-feira, 11 de março de 2015

As Estrelas no Céu e o Poder de Receber

atração 
A natureza atua como uma alavanca que nos enche de energia e poder para conseguirmos alterar as nossas circunstâncias de vida.
O contato com a natureza altera-nos positivamente o humor. De forma praticamente imediata, conseguimos ultrapassar sentimentos negativos que bloqueiam o nosso caminho para o sucesso.
A contemplação da natureza ajuda-nos a construir o equilíbrio e a aceder a paz interior e abre um espaço na nossa mente necessário  para que o poder de atracção do universo toque o nosso espírito e nos traga o que desejamos.
Para compreender, vá a janela e contemple o céu estrelado. feche os olhos e ouça o silêncio profundo da noite no intervalo dos sons que lhe chegam aos ouvidos. abra os olhos e o coração ao ver o brilho intenso dos astros e a majestade da negrura do céu. Respire profundamente e receba a paz e equilíbrio da mãe natureza com alegria. Deixe que o ser profundo e eterno a preencha e sinta a sua ligação profunda com o universo. Não existe nenhuma experiência igual.
A feitiçaria potencia a interacção com a mãe natureza no dia a dia. Viver com ela, reconhecer o seu poder e deixar que penetre o coração do seu ser  irá resultar numa mudança radical e profunda da sua vida.

sexta-feira, 1 de agosto de 2014

Bolo de milho verde Lammas


Ingredientes:

4 espigas de milho
3 ovos 
1 tablete de margarina (temp. ambiente)
2 xíc. de açucar
3 xíc. de farinha (trigo)
1 colher (chá) de fermento
Preparo:
corte o milho das espigas, coloque no liquidificador com as gemas e um pouco de leite, bata, vá acrescentando os outros ingredientes. Coloque a massa e asse em forno médio por 40 minutos. Se gostar, acrescente a massa erva doce.

Source: Feity Mistica
fonte::espiritowicca

BONECAS DE MILHO- FOLCLORE DE LAMMAS


Uma das tradições de Lammas é o boneco de milho.
A Boneca do Milho é tradicionalmente feita a partir da palha do milho por representar a fartura. É costume queimar a boneca feita no ano anterior, representando assim o sacrifício do Deus – logo em seguida se confecciona a nova Boneca do Milho que costuma-se colocar atrás da porta da cozinha para que nunca falte alimentos em sua casa…
Esse costume também faz parte da cultura das cidades do interior brasileiro há muitos anos…

O folclore de Lammas há muito veio para o Brasil através dos costumes que os povos que chegaram ao Brasil vindo de outros continentes trouxeram: europeu, africano, asiático, entre outros…
Em Minas por exemplo há um tradição que faz as pessoas guardarem espigas de milho em suas casas para secarem a fim de fazer um boneco com a própria espiga. Depois de pronto, elas penduram esse boneco atrás da porta da cozinha no último dia do ano e deixam por lá.

Acredita-se que a boneca de milho ajuda na fartura.

Os antigos povos Celtas confeccionavam suas “Bonecas de Milho” para atrair fartura para seus campos. A boneca era confeccionada no dia do ritual e colocada no altar durante o Sabbat para simbolizar a Deusa Mãe da Colheita. O costume, em cada Lammas é queimar a boneca do ano anterior e levar a nova boneca para sua casa.
Durante o sabbat, pegue a boneca com suas mãos, faça os seus pedidos, dê três voltas com ela ao redor do Círculo e ao final da terceira volta coloque-a dentro de seu caldeirão, salpique um pouco de açafrão sobre ela e ateie fogo enquanto diz.
“Eu agradeço o milagre da continuidade que vem até mim através das sementes que revelam a promessa do renascimento. Bendito seja o Senhor dos grãos”
Depois que a boneca queimar, consagrar a boneca nova com todos os elementos: sal (representando a terra) – passar pela fumaça do incenso (representando o ar) – passar pela chama da vela (representando o fogo) e aspergir água (representando a água) e dizer.
“Bendito seja a vida que cresce e se multiplica
Nós agradecemos a Deusa Mãe da Colheita e o Senhor dos Grãos
Que assim seja e que assim se faça”

Se você vai festejar, boa colheita pra você.

sexta-feira, 21 de março de 2014

Ostara - Equinócio da Primavera


Festa da Fertilidade
(21 de Março - Hemisfério Norte) e (21 de Setembro - Hemisfério Sul)

Pela primeira vez no ano o dia e a noite se fazem iguais. É, portanto, uma data de equilíbrio e reflexão. Os dias escuros se vão, e a terra está pronta para ser plantada. É quando os Deus e Deusa se apaixonam, e deixam de ser mãe e filho. Nessa data, a semente da vida é semeada no ventre da Deusa, a Donzela revigorada e cheia de vida e alegria.
O Deus é devidamente armado para sair em sua viagem no mudo das trevas e reconquistá-lo, para que posteriormente a luz volte a reinar.
Ostara é o Festival em homenagem à Deusa Oster, senhora da Fertilidade, cujo símbolo é o coelho. Foi desse antigo festival que teve origem a Páscoa.

quinta-feira, 20 de março de 2014

Harmonia...


São delicados e sutis os fios da harmonia. 
Ao contrário da alegria, do entusiasmo, ela é uma das sensações mais discretas. Sua voz é quase imperceptível, feito outra qualidade de silêncio. Ela não é uma gargalhada, é aquele sorriso por dentro, uma sensação gostosa de estar no lugar certo, na hora adequada. 
Feito um arco-íris depois da tempestade, sua beleza é adornada pelo equilíbrio dentro do derramamento.
É um adestramento dos fantasmas internos.
A possibilidade de aprimorar os pensamentos.
É quase como não pensar. Simplesmente, sentimos uma ligação profunda com tudo, um denso bem-estar. Como se tivéssemos uma secreta intimidade com o mundo, certa cumplicidade com o tempo. É como se observássemos descompromissados, ela é uma descontração.
Como se o coração batesse pelo corpo todo, mas sem extremada euforia. Uma tranqüilidade dilatada no peito, o olhar satisfeito, a mente entendendo que já nem precisa entender o que é prosa ou poesia.
E o mundo inteiro cabendo num abraço. E uma firmeza na carícia, a maturidade que perdeu o cansaço, uma confiança que preenche a existência.

A harmonia é um contato profundo com a experiência. E o tempo do dia não é mais composto por esperas, ele é vivido.
E já não se fala, palavras passeiam pela boca.
E já não se escreve, as frases coreografam as paisagens.
E já não se ama, o amor vigora em nós.
A harmonia tem fios muito delicados e sua trama faz a ligação mais suave entre todas as urgências já sentidas. E o chão do sonho é macio, e tudo parece estar alinhavado, numa ligação sem sufocamentos.
E a poesia não deseja mais ser nada, vira o afago de um momento.
E nas letras a textura de um veludo, como se ao correr pela página, os olhos pudessem ser acariciados.
E você tem todas as coisas sem precisar tomar posse delas. Você ama o amor, não o delírio de estar apaixonado.
Sinto a harmonia como uma espécie de fascínio pela vida. É quase uma perda de outros apetites, porque se está tão nutrido pela própria companhia.
E a gente tem aquela vontade súbita de andar pela noite: não apenas para olhar as estrelas, mas também para por elas sermos vistos.
Harmonia é como se fôssemos inundados pelo mar onde antes só havia um precipício. - Marla de Queiroz -

quarta-feira, 19 de março de 2014

Duendes


Duendes já existem na lenda irlandesa desde os tempos medievais. Tradicionalmente, os duendes são fadas, muitas vezes aparecem aos seres humanos como um homem velho – muito diferente da visão moderna de uma duende (pequena criança em um terno verde). Como diz a lenda, duendes adoram colecionar ouro, que eles armazenam em uma panela e escondem no final do arco-íris.