Sou dramática, intensa, transitória e tenho uma alegria em mim que quase me deixa exausta. Eu sei sorrir com os olhos e gargalhar com o corpo todo. Eu sei chorar toda encolhida abraçando as pernas. Por isso, não me venha com meios-termos, com mais ou menos ou qualquer coisa. Venha a mim com corpo, alma, vísceras e falta de ar.

segunda-feira, 10 de março de 2014

A Arte de Menstruar




Menstruar é um fato primordial na vida de qualquer mulher. Entre as diferenças que existem entre homens e mulheres, 'sangrar sem morrer' certamente é uma das mais significativas e que deixou forte impressão na mente humana, desde o primórdio dos tempos. Para nossas ancestrais da Idade da Pedra, o sangue menstrual era sagrado. A palavrasacramento provavelmente se origina de sacer mens, literalmente, menstruação sagrada.

Menstruação significa "mudança de lua". Tem como raiz da palavra mens, mensise está na origem da contagem do tempo. Forma palavras como medida, dimensão, metro,mente, para citar algumas. 
         O sangue menstrual, representando o poder de criar vida que conecta as mulheres com o próprio universo, era tabu, palavra polinésia significando "sagrado" e "proibido". Nas sociedades tribais, a menarca, o início do fluir do sangue, era celebrado com um rito de passagem, auxiliando a menina a realizar sua entrada para o reino do mana: o poder sagrado transmitido pelo sangue e que tanto podia dar como tirar a vida.


         Ao longo dos milênios, as mulheres têm desaprendido a arte de menstruar, de fluir com a vida. O que era sagrado tornou-se proibido, sujo, contaminado. A regra passou a ser esconder a regra. O resultado disto foi que o evento central na vida de toda mulher madura tornou-se invisível. Mesmo mulheres "liberadas" acreditam que suas regras (aquilo que as rege) são uma inconveniência que deveria ser eliminada. A decantada imprevisibilidade feminina é, em grande parte, decorrente das oscilações a que a mulher está submetida, ao longo de seu ciclo mensal. É expressão da imprevisibilidade da própria vida.

Infelizmente, hoje, as mulheres veem a menstruação como um desconforto e procuram várias medidas para se livrarem deste. Assim injetam drogas poderosas em seus organismos sem perceberem quão violento é esse ato e quantas consequências pode trazer.

Isso é muito triste, é uma forte negação do feminino, do poder feminino, negação da própria natureza. É inconsciente, nada sábio. Aliás, se você quiser se conhecer melhor como mulher, e os mistérios femininos, fique atenta às oscilações que você sente durante seu ciclo menstrual, observe a lua e note a diferença de menstruar na lua cheia ou lua nova. Anote seus sonhos e veja as diferenças entre ovulação e menstruação. 
Elabore um mapa dos padrões para ajudar você a programar seu 'tempo da lua'. Ritualize sua menstruação:
aumente a fecundidade de sua vida, procure respeitar esse período, que deveria ser de resguardo, de descanso, já que é nesse momento que estamos finalizando um ciclo dentro de nós. Se não puder parar de trabalhar, pelo menos organize uma noite de relaxamento. Celebre! Sozinha, ou com suas amigas, prepare comidas e bebidas especiais para os dias sagrados. Se possível, retire-se para um lugar especial, um lugar seu, seja na sua casa ou na natureza, como um parque, um jardim, e silencie sua mente para escutar a mensagem de seu corpo, sinta o sangue fluir, perceba sua consistência e temperatura, imagine sua cor, sua força e revista-se desse poder. Pense nas suas ancestrais, tente imaginar como era esse período para elas. Agradeça a natureza por este dom.

http://ocantodabruxa.blogspot.com.br/2011/11/poder-feminino-sangue-sagrado.html

Nenhum comentário:

Postar um comentário